Rádios online / Emissoras ao vivo

Dials / Guia de Rádios

Procurar notícias de rádio

Canais.

Canais.

Canais.

Enquete

Na sua opinião, qual formato de rádio deverá passar por uma maior expansão no número de rádios no mercado brasileiro em 2020?

Enquete

Terça-Feira, 13 de Janeiro de 2015 @

FM com “produto estragado”

A falta de cuidado e/ou manutenção com algo simples relacionado ao áudio da emissora "estraga o produto"

Publicidade

Olá pessoal! Estamos iniciando agora mais um ciclo de colunas do Tudo Rádio, com a expectativa de poder contribuir de forma significativa para o rádio em 2015, algo que tem sido a missão de nossa equipe ao longo desses últimos anos. Sempre procuramos temas de interesse dos ouvintes e do mercado e, se por algum motivo ele “cutuca” algo de negativo no rádio, a intenção é sempre de ajudar e não de jogar o meio para baixo. O rádio segue forte em audiência, influência na sociedade e também como um veículo apaixonante. Por isso vamos continuar abordando pontos positivos e negativos das áreas técnica, artística, audiência, publicidade, tecnologia, entre outros temas. Hoje eu vou falar de impressões no FM. Acompanhe:

Entre novembro e esse início de 2015 eu rodei mais de 7.000km entre os estados de São Paulo, Paraná e Santa Catarina, sendo tudo de carro. Os motivos foram diversos, sendo relacionados à questões profissionais e pessoais. O que importa nesse ato para a coluna foram as escutas, afinal foram 7.000km de dial sendo girado para frente ou para trás. Sendo assim é inevitável que algumas situações expostas pelo rádio chamem a atenção. Entre elas está a qualidade do áudio emitido pelas estações desses três estados, independente da cidade de origem e também do tipo de programação. Existem bons exemplos e também alguns destaques negativos.

O que mais me chamou a atenção foi a ausência do som estéreo. Isso mesmo: FMs sem estéreo. E pelo visto não é algo proposital, pois o receptor indica a presença do sinal estéreo. Apesar de ter rodado mais de 7.000km, esse problema é maior no meu quintal: Curitiba. Rádios importantes estão há meses com o som distorcido e/ou com o estéreo ausente (apesar do receptor mostrar o contrário). Isso é grave: são FMs que possuem a produção musical como carro-chefe de seus projetos, voltadas a públicos exigentes. É preciso cuidar do som da FM, afinal ele é o produto final das emissoras. Esse produto está chegando “pela metade” ou com qualidade inferior ao que é proposto.

Algumas situações técnicas, geralmente aquelas que envolvem cobertura de sinal, são mais difíceis de resolver. Mas a qualidade do áudio deve ser sempre impecável. Por mais caro ou difícil que seja a solução de um eventual problema na transmissão (principalmente no áudio da emissora), ele não pode durar por mais de uma semana. E esses problemas constatados em Curitiba (e que não são exclusividade da capital paranaense) persistem há meses.

Enfim, vou aproveitar essa “andança” pelos três estados e abordar outros pontos curiosos originados pelas escutas realizadas, além de citar bons exemplos de operações no rádio (temos vários, o que é muito bom). Aproveito para pedir a sua participação e sugestão de temas. Envie para [email protected]

Ótimo 2015 a todos! E boas escutas!

 

Tags: Espectro, FM, cuidados, sintonia, interferência, internet, rádio, AM, FM

Compartilhe!

Colunista
Daniel Starck

Daniel Starck é empresario, jornalista e proprietário do tudoradio.com (veiculo que atua há mais de 17 anos voltado aos interesses do rádio brasileiro e de seus ouvintes). Formado em Comunicação Social / Jornalismo pela PUCPR, Daniel também já teve passagens por rádios como CBN, Rádio Clube e Rádio Paraná. Também atua como consultor nas áreas artística e digital.



Mais tudoradio.com



tudoradio.com © 2001 - 2019 | Todos os direitos reservados
Empresas parceiras do tudoradio.com:
tudoradio.com - O site de rádios do Brasil
Tel. Comercial: (41) 4062.0035 | (11) 4062.0058 / (09h às 12h e das 14h às 17h - seg. a sexta)
Entre em contato com o portal clicando aqui.