Rádios online / Emissoras ao vivo

Dials / Guia de Rádios

Procurar notícias de rádio

Canais.

Canais.

Canais.

Enquete

Na sua opinião, qual formato de rádio deverá passar por uma maior expansão no número de rádios no mercado brasileiro em 2020?

Enquete

Quinta-Feira, 06 de Abril de 2017 @

Mix FM e 89 A Rádio Rock deram um recado ao mercado

Publicidade

A união inédita entre 89 A Rádio Rock e Mix FM para a cobertura do festival Lollapalooza Brasil chamou a atenção dos ouvintes e do mercado. E as emissoras deram um recado importante ao tomar esse tipo de iniciativa: marcaram posição ao mostrarem que podem trabalhar juntas, apesar do meio pintar um cenário de concorrência “direta” entre as duas estações. O recado é principalmente para o meio publicitário, mostrando que as duas FMs contam com públicos de perfis distintos dentro de uma faixa etária e classes sociais semelhantes.

Hoje o rádio FM de São Paulo, principalmente aquele chamado de “jovem”, está muito diferente, com projetos bem distintos entre si. E o Lollapalooza já havia entendido isso, quando escolhe duas emissoras para serem as rádios oficiais de suas edições (e não apenas uma). Em 2017 a 89  A Rádio Rock foi a responsável por promover o festival para os interessados nas atrações que cabem na denominação “rock” (ou estão mais próximas disso). Já a Mix FM cuidou e acompanhou do cenário “pop” do festival.
 
Dentro da discussão de “gêneros musicais”, existe um perfil desse “consumidor” de cada rádio, com uma série de detalhes. Taí algo que é importante observar, seja pelo mercado publicitário ou pelas próprias emissoras. Que público é esse? Meu produto/serviço cabe aqui? E com as rádios cada vez mais segmentadas em seus projetos em grandes mercados como São Paulo, isso tende a ajudar os anunciantes e principalmente a manutenção (e ou geração) de novos públicos no universo radiofônico.
 
O rádio também passa por algo que é bastante visível na área de serviços de uma grande cidade. Veja por exemplo o número de “hamburguerias gourmet” que estão surgindo. Ou até a mudança no formato de negócio de barbearias. Essas movimentações são resultados de uma série de pesquisas de mercado, traçando um perfil do público existente no local e o que ele deseja consumir. 
 
A segmentação de projetos em grandes centros, como São Paulo, é uma realidade e que precisa ser definida através de bons argumentos baseadas em pesquisas e resultados. A iniciativa que envolveu 89 e a Mix FM é uma delas. E, na minha opinião, nós só não avançamos mais nesse sentido por causa dos efeitos negativos causados pela retração econômica vivida pelo país. Mas isso vai passar e as rádios precisam estar preparadas, com seus posicionamentos bem definidos perante o público e o mercado publicitário.
 
Lembrando que a segmentação está em todos os “gêneros de rádio”, algo que auxilia no alcance geral do meio perante a população de uma cidade/região. 
Tags: rádio, eventos, parceria, segmento, comercial

Compartilhe!

Colunista
Daniel Starck

Daniel Starck é empresario, jornalista e proprietário do tudoradio.com (veiculo que atua há mais de 17 anos voltado aos interesses do rádio brasileiro e de seus ouvintes). Formado em Comunicação Social / Jornalismo pela PUCPR, Daniel também já teve passagens por rádios como CBN, Rádio Clube e Rádio Paraná. Também atua como consultor nas áreas artística e digital.



Mais tudoradio.com



tudoradio.com © 2001 - 2019 | Todos os direitos reservados
Empresas parceiras do tudoradio.com:
tudoradio.com - O site de rádios do Brasil
Tel. Comercial: (41) 4062.0035 | (11) 4062.0058 / (09h às 12h e das 14h às 17h - seg. a sexta)
Entre em contato com o portal clicando aqui.