Rádios online / Emissoras ao vivo

Dials / Guia de Rádios

Procurar notícias de rádio

Canais.

Canais.

Canais.

Enquete

Como você, ouvinte de rádio via streaming, classifica esse serviço oferecido pela sua emissora preferida?

Enquete

Quinta-Feira, 18 de Junho de 2015 @ 00:00

Olivar Paula (Lili)

Olivar Paula (Lili) fala sobre a Clube FM de Ribeirão e das demais estações do grupo onde atua
Teste

O Tudo Rádio segue o projeto de publicar entrevista com profissionais que tem auxiliado diretamente no crescimento das estações que representam, contribuição que também vale para todo o meio rádio. Hoje vamos bater um papo com Olivar Paula, mais conhecido como Lili. O profissional é coordenador de programação e promoção da Clube FM 100.5 de Ribeirão Preto. Lili vai contar um pouco mais sobre a Clube FM, as demais rádios do grupo, o mercado de rádio do interior do país e a sobre a sua trajetória profissional.

Boa leitura a todos!

Vamos pelo início Olivar. Você começou em Franca, correto? Como foram os seus primeiros anos no rádio?

Isso comecei em Franca na Hertz FM em 1986. O começo foi difícil, porém gratificante. Trabalhei com excelentes profissionais da época e sempre busquei me aprimorar na locução, isso me ajudou nos primeiros passos na profissão.

E qual foi a primeira vez que exerceu um cargo de direção? Foi na Hertz FM de Franca?

Sim, na Hertz tive a oportunidade de me tornar Diretor Artístico nas duas vezes em que passei pela emissora. Implantei o aumento de potência com nova plástica, quadros de humor, programas novos e com uma equipe de locução versátil onde todos contribuíram para o crescimento da rádio, isso em 1992. Trabalhei com excelentes locutores como Israel Lopes, Fernando Francis, Marcio Miguel, Marcos de Alcântara, Alex Jr, Renato Valle, Silvinho entre outros.

Também passou por outra rádio da região? E como foi parar em Ribeirão Preto? Passou por qual rádio até chegar à Clube FM?

Em Franca, trabalhei na 3 Colinas FM em 1989, na rádio fui locutor e programador musical. O diretor era e continua sendo o Ricardo Campanaro, que se tornou um amigo. Foi uma passagem legal que recordo com alegria. Já na Difusora trabalhei em 1994, fui convidado pelo então Coordenador da Rádio Dimas Aguiar (atualmente locutor do Grupo Bandeirantes de rádio). Na Difusora tive outra passagem bacana, fiz parte de uma equipe com grandes profissionais como: Dimas Aguiar, Tom, Rui Bala, Beto Brincadeira, Gel Rodrigues, Alex Ribeiro, DJ Valtinho além do José Adolfo Bianco Molina como Diretor dessa galera. Época boa do rádio.

Como foi o seu início na Clube FM? A emissora já era considerada uma das referências do meio rádio no interior do país, correto?

Trabalhar e fazer parte da Clube FM era um sonho de criança, antes mesmo de atuar no rádio. Sempre ouvi a Clube e tinha comigo, que um dia eu trabalharia nessa rádio. Isso aconteceu em Maio de 1995 na época a Clube já era referência no meio radiofônico no Brasil inteiro, e fazer parte daquela equipe era o sonho de todo profissional que tem paixão pelo rádio. Sou grato aos locutores Carlos Zanoello, Paulo Paradise, Paulinho Patto, Minduba, Julim Brazil, Tavinho Junior, Cabela, Magoo entre outros que me ajudaram e apoiaram muito quando cheguei na Clube.
O Paulo Pizani, nosso diretor, nunca mediu esforços para que a Clube fosse sempre uma rádio de ponta, e essa filosofia do Paulo continua até hoje, agora ao lado do Juliano Pizani que deu sangue novo, com novas idéias e atuando para melhorarmos ainda mais.

Você atua diretamente com ações e na grade musical na Clube FM, emissora que tem um volume de atuação que chega a ser superior à estações de algumas capitais. Como a rádio alcançou esse patamar?

A Clube é uma referência no rádio, somos ouvidos no Brasil inteiro, o que torna o nosso trabalho uma grande responsabilidade. Hoje coordeno a Programação Musical e Promoção.
Eu e o Juliano Pizani estamos sempre atentos no que rola em todo o mundo, através das redes sociais. Atuamos no mercado sempre respeitando nossos concorrentes, porém somos “agressivos”, até porque o rádio em Ribeirão Preto é muito competitivo. Hoje a audiência da Clube em Ribeirão e região nos leva sempre a investir na qualidade, com novas vinhetas e promoções, mostrando que o rádio não parou no tempo, sempre buscando os melhores índices de audiência com trabalho e dedicação constante de toda a equipe.

Considera o mercado de Ribeirão exigente? Atualmente é o momento de maior concorrência desde a sua chegada à Ribeirão em 1994?

Sim, o mercado aqui além de exigente, é competitivo. Que por um lado é bom, assim não ficamos acomodados. Quando cheguei em Ribeirão já havia uma grande disputa pelo mercado. Lembro me bem da Transamérica, Regional FM, Diário, Líder FM, a Clube e a Difusora, todas essas rádios brigavam pelo seu espaço. Hoje é a mesma coisa, só que algumas rádios se foram e entraram outras no mercado.

E a questão artística? Quais são os critérios para o atual formato e como manter esse padrão atual?

Nossas vinhetas são produzidas pelo Gilson Dário da Dario produções e pelo Henrique do Vale da Reel World, os critérios são os mesmos que a maioria das grandes rádios usam.
Elaboramos um formato objetivo em nossa programação que hoje é Hit Parade, tocando o sucesso do Sertanejo, Samba, Funk e alguns sucessos do pop internacional.
Outro ponto a ressaltar é a nossa equipe de locutores todos com o mesmo padrão, porém cada um tem sua particularidade no horário. O Beto Spigga no bom dia Clube com seu bom humor e alegria nas manhãs, a Vivi com sua simpatia, o Julim Brazil com seu carisma, a Suelem no Batidão com sua irreverência o Gian Nunes com sua descontração e o Dênis fazendo a diferença nas madrugadas. Sem contar o Claudinho Nogueira que encaixa em todos os horários da rádio e a Gerusa que foi uma aposta com sua personagem.

A Clube FM de São Carlos segue a mesma linha? Como é o trabalho realizado entre Ribeirão e São Carlos?

Sim, a Clube FM de São Carlos segue as mesmas diretrizes de Ribeirão Preto, é claro que o Kaká que coordena a Clube de São Carlos tem a liberdade de fazer algumas mudanças que a praça de lá exige, até porque é outra região, apesar de estarmos a 90 km de distância.

E a Melody FM? Apesar de ser uma emissora tradicional, ela vive um novo momento, certo? Como se fosse uma nova aposta/investimento do grupo?

Sim, esse ano de 2015 resolvemos fazer algumas mudanças na programação musical e na plástica devido ao novo público adulto contemporâneo, mesmo sendo uma emissora tradicional, o público também se renovou. O Juliano Pizani sempre citou que tínhamos que fazer uma renovação e nada melhor do que começarmos a implantar uma nova filosofia para a emissora.

E como é a atuação da Clube FM e da 106 FM Sertaneja em Ribeirão? É possível que uma rádio auxilie e não atrapalhe a outra na disputa por espaços no mercado ribeirão-pretano?

A Clube já é uma rádio consolidada no mercado, e a 106 veio nos ajudar a tirar uma fatia da nossa concorrente sertaneja, já que a 106 é 100% sertaneja e nunca nos atrapalhou, pelo contrário, nos ajudou.

E o futuro? O FM continuará relevante? Internet é complemento ou já sinaliza algo maior? Qual a aposta de vocês para os próximos anos?

O futuro é as rádios usando a internet como complemento para algo maior, essa é a aposta.

Você chegou a atuar como professor no SENAC em Ribeirão, certo? Como vai a formação de novos profissionais para o meio rádio? Esses novos radialistas estão preparados para o mercado atual?

Fui Professor do SENAC durante cinco anos, e nesse período passaram bons alunos que hoje estão atuando no rádio, cito aqui o Eduardo Trevisan e Gian Nunes, entre outros que se formaram e também se especializaram. Preparados para o mercado todos estão, porém se não tiverem qualificação e gostarem muito do rádio, não adianta nada. Quando comecei no rádio sabia quais eram os locutores que faziam sucesso em Ribeirão, Campinas, São Paulo, Rio de Janeiro, fazia questão de ouvir todas as rádios e locutores, hoje você pergunta para alguns deles e eles nem sabem o slogam da rádio que estão ouvindo. Para trabalhar no rádio tem que ser apaixonado, ser humilde e buscar melhorar a cada dia. Ter uns 15% de sorte também ajuda.

E quais serão os próximos passos da Clube FM e as novidades na rádio?

Estamos antenados no que acontece nas redes sociais, e procuramos interagir ainda mais com os nossos ouvintes, esse é o pensamento da Clube. Promoções e novidades para esse segundo semestre já estão em nosso cronograma. Acredito que o rádio ainda tem muita força, e pode contribuir muito para a sociedade. Basta trabalhar e acreditar!

Tags: Clube FM, Ribeirão Preto, 106 FM, Melody FM, Lili, Olivar de Paula, mercado, audiência, São Paulo

Compartilhe!

Teste
Daniel Starck

Daniel Starck é empresario, jornalista e proprietário do tudoradio.com (veiculo que atua há mais de 17 anos voltado aos interesses do rádio brasileiro e de seus ouvintes). Formado em Comunicação Social / Jornalismo pela PUCPR, Daniel também já teve passagens por rádios como CBN, Rádio Clube e Rádio Paraná. Também atua como consultor nas áreas artística e digital.



Mais tudoradio.com



tudoradio.com © 2001 - 2020 | Todos os direitos reservados
Empresas parceiras do tudoradio.com:
tudoradio.com - O site de rádios do Brasil
Tel. Comercial: (41) 4062.0035 | (11) 4062.0058 / (09h às 12h e das 14h às 17h - seg. a sexta)
Entre em contato com o portal clicando aqui.