Rádios online / Emissoras ao vivo

Dials / Guia de Rádios

Procurar notícias de rádio

Canais.

Canais.

Canais.

Enquete

O áudio digital está crescendo em consumo. Isso inclui o streaming das rádios. E ai? Os streamings das suas estações preferidas estão...

Enquete

Sexta-Feira, 07 de Fevereiro de 2014 @ 13:01

Tuta e Nilton Travesso levam “Dois diretores em cena” para o Jovem Pan Morning Show

São Paulo – Eles relembraram surgimento da TV e importância do rádio

Publicidade
O programa Jovem Pan Morning Show, que vai ao ar pela Jovem Pan AM 620 e rede e Jovem Pan FM 100.9 de São Paulo, recebeu nesta sexta-feira os apresentadores do “Dois diretores em cena”, Tuta e Nilton Travesso. O quadro vai ao ar pela Rede Jovem Pan Sat e conta histórias do rádio e TV.  
 
Eles relembraram, por exemplo, a época do surgimento da televisão no país. Mesmo destacando a relevância do fato, ressaltaram que ela nunca diminuiu e nem vai diminuir a importância do rádio. “Quando fundamos a TV, os comentários eram que ela ia acabar com o rádio. Agora, 60 anos depois, nós dois estamos fazendo um programa de rádio que está há três anos no ar e já ganhou vários prêmios. Ele continua presente. É importante porque busca emoção. É isso que a gente faz”, disse Tuta. 
 
Atual presidente da Jovem Pan, Tuta, cujo nome completo é Antônio Augusto Amaral de Carvalho, é filho de Paulo Machado de Carvalho, empresário responsável pela fundação da TV Record, emissora em atividade mais antiga do país, em 1953. Já nos primeiros anos de trabalho, atuou com o pai na direção da casa e, ao lado de Travesso, viu-a atingir seu ápice na década de 1960. 
 
Ao falar sobre o período, Tuta contou que, apesar de terem investido em profissionais de gabarito para o desenvolvimento, ele acredita que uma tragédia foi a verdadeira responsável pelo sucesso do projeto. Trata-se do incêndio ocorrido em 1966 nos estúdios e na central técnica localizados no bairro do Aeroporto, em São Paulo. 
 
Após o incidente, eles se mudaram para o Teatro Record, na Rua da Consolação, onde foram obrigados a modificar a grade para adaptá-la ao novo formato. “O que levou a TV Record aos primeiros lugares não foi nenhuma estratégia. Foi o fogo. Tivemos que ir ao teatro por causa do incêndio. E o que podíamos fazer lá senão shows? Aí que entraram Roberto Carlos, Elis Regina, Wilson Simonal. Mas não bolamos nada, Deus é que ajudou”, afirmou. 
 
Além disso, Travesso destacou a amizade da dupla, que, segundo ele, nunca se desentendeu nos bastidores das produções. “É uma amizade de 60 anos e nunca tivemos uma discussão. Nunca levantamos a voz um para outro. Nos momentos difíceis, de turbulência, conversamos e fomos parceiros. É assim até hoje. O importante do Tuta é que a palavra dele vale mais que qualquer assinatura. Isso sempre me deixou muito feliz”, disse. 
 
Por fim, os dois diretores compararam o trabalho que era feito décadas atrás na televisão com o que é feito hoje. Para eles, antigamente era preciso suar muito mais a camisa para segurar a atenção do público. 
 
Aproveitando o rumo do bate-papo, criticaram a audiência “fajuta” e “viciada” medida pelo Ibope. “A TV Globo faz uma novela e tem audiência todo dia. A gente ficava todos os dias atrás de audiência porque todo dia era um programa novo. Era bem mais difícil. Fazíamos grandes programas, mas não sabíamos a dimensão daquilo”, declarou Tuta. “E desde aquela época lutávamos com o ibope. Esse mal fadado instituto desgraçado. Eles fazem tudo com computador. Ligam um aparelho nas televisões e medem. Mas é fajuto. Todo dia são as mesmas televisões, nos mesmos lugares. Tem que perguntar para outras pessoas. Quem gosta de futebol gosta, quem gosta de outra coisa gosta. É uma medição viciada. É desvantagem para os  pequenos, não para os grandes. A TV Globo está sempre bem”, acrescentou.  “Mesmo com 20 pontos, o que é péssimo para uma novela, está muito acima das outras, que têm 4 ou 5. Mas será que é isso mesmo? É difícil de dizer. Pesquisa é importante, mas tem que ser bem feita. Trato com eles há 40 anos e sofro muito. Meus cabelos até se foram”, brincou. 
 
Durante o programa, eles ainda foram surpreendidos com a participação de Carlos Alberto de Nóbrega, Caçulinha e Boni, antigos companheiros que divertiram a todos revelando histórias divertidas que passaram juntos. O primeiro, por exemplo, relembrou sua época de Família Trapo, que escrevia em parceria com Jô Soares. “A direção era do Travesso e do Manoel Carlos, um a cada semana. Mas gostávamos muito mais quando era o Travesso! Não tinha diretor igual a ele. Sabe o que fazíamos? Quando sabíamos que era o Manoel, botávamos uma marcação muito mais difícil. Golias em um quadro, Jô em outro, depois cortava para outro... Tudo para complicar. Era bullying (risos)”, confessou.
 
Com informações do Jovem Pan Online

Todos os direitos são reservados ao Portal tudoradio.com, conforme a lei nº 9.610/98. A publicação, redistribuição, transmissão e reescrita são permitidas, desde que contenham os devidos créditos ao Portal tudoradio.com.

Tags: Jovem Pan, Dois diretores em cena, Tuta, São Paulo

Compartilhe!

Teste
Carlos Massaro

Carlos Massaro atua como radialista, jornalista e é formado em Direito, com pós graduação em Direito Trabalhista e Tributário. Já coordenou artisticamente uma afiliada da Band FM (Promissão/SP) e trabalhou como locutor na afiliada da Band FM em Ourinhos/SP e na Interativa de Avaré/SP. Atua pelo tudoradio.com desde 2009, responsável pela atualização diária da redação do portal.



...









tudoradio.com © 2004 - 2022 | Todos os direitos reservados
Mais tudoradio.com:
Empresas parceiras do tudoradio.com:
tudoradio.com - O site de rádios do Brasil
Tel. Comercial: (41) 4062.0035 | (11) 4062.0058 / (09h às 12h e das 14h às 17h - seg. a sexta)
Entre em contato com o portal clicando aqui.