Rádios online / Emissoras ao vivo

Dials / Guia de Rádios

Procurar notícias de rádio

Canais.

Canais.

Canais.

Enquete

Como você, ouvinte de rádio via streaming, classifica esse serviço oferecido pela sua emissora preferida?

Enquete

Sexta-Feira, 17 de Janeiro de 2020 @ 15:07

Relatório da FENAJ aponta aumento nos casos de violência contra veículos de comunicação e jornalistas

Brasília – Número subiu 54,07% entre os anos de 2018 a 2019 em todo o país

Publicidade

A Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) divulgou um relatório sobre a violência contra veículos de comunicação e jornalistas. O documento, chamado "Relatório da Violência contra Jornalistas e liberdade de imprensa", é divulgado anualmente e mostra números registrados de violência contra a imprensa. 

Divulgado nesta quinta-feira (16), no Sindicato dos Jornalistas, no Rio de Janeiro, O relatório da FENAJ mostra que os casos de violência contra veículos de comunicação e jornalistas subiram 54,07% de 2018 para 2019. De acordo com o relatório, foram registrados 208 casos contra 135 no período de comparação. 

Entre os 208 registros, 94 de agressões diretas a profissionais. Além disso, o documento ainda mostra que, dos 208 casos, 121 (58,17%) tem o presidente Jair Bolsonaro foi responsável pelos ataques. O relatório diz que cinco dos ataques do presidente foram agressões verbais diretas a jornalistas durante entrevistas que não foram reproduzidas no site do Palácio do Planalto.

Outra percepção que é notada pelo relatório foi a tentativa de questionar a credibilidade da informação divulgada pelos meios de comunicação. O item foi criado por causa dos ataques sistemáticos à imprensa e aos jornalistas feitos por Bolsonaro - foram 114 casos.

O relatório anual teve como base discursos e entrevistas oficiais do presidente entre janeiro e dezembro de 2019. A FENAJ também monitorou as postagens de Jair Bolsonaro nas redes sociais.

Assassinatos

O relatório do FENAJ também divulgou o balanço do número de assassinatos contra jornalistas. Em 2019, foram dois registros: os jornalistas Robson Giorno e Romário da Silva Barros, que atuavam em Maricá (RJ), foram mortos. Em 2018, houve apenas uma morte e, em 2017, nenhuma.

Outro aumento registrado no relatório foi o número de injúrias raciais envolvendo jornalistas. Em 2019 foram dois casos de racismo, contra nenhum em 2018. Já os casos de ameças/intimações e de censuras mantiveram-se iguais nos dois anos de comparação: foram, respectivamente, 28 e 10 registros.

Já os demais tipos de violência direta contra jornalistas caíram: as agressões físicas, que eram as mais comuns, diminuíram, passando a 15 casos, que vitimaram 20 profissionais, contra 33 em 2018. No mesmo sentido, houve redução em outros tipos de ataque: em 2019, foram 20 agressões verbais, 10 casos de impedimentos ao exercício profissional, 5 episódios de cerceamento à liberdade de imprensa por meio de ações judiciais e 2 casos de violência contra a organização sindical dos jornalistas. Em 2018, foram, respectivamente, 27, 19, 10 e 3 casos.

Com informações do G1

Tags: Rádio, violência, jornalismo, FENAJ, Brasília

Compartilhe!

Teste
Carlos Massaro

Carlos Massaro atua como radialista e jornalista e é formado em Direito. Já coordenou artisticamente uma afiliada da Band FM (interior de São Paulo) e trabalhou como locutor em outra retransmissora da Band FM e na Interativa de Avaré. Atua pelo tudoradio.com desde 2009, responsável pela atualização diária da redação do portal.



...


Mais tudoradio.com



tudoradio.com © 2001 - 2020 | Todos os direitos reservados
Marcas que pertencem ao tudoradio.com:
Empresas parceiras do tudoradio.com:
tudoradio.com - O site de rádios do Brasil
Tel. Comercial: (41) 4062.0035 | (11) 4062.0058 / (09h às 12h e das 14h às 17h - seg. a sexta)
Entre em contato com o portal clicando aqui.