Rádios online / Emissoras ao vivo

Dials / Guia de Rádios

Procurar notícias de rádio

Canais.

Canais.

Canais.

Enquete

Ao buscar por uma rádio, que tipo de conteúdo você procura?

Enquete

Sábado, 04 de Agosto de 2007 @ 02:29

Consumidor terá que comprar aparelho de pelo menos R$60 para ouvir rádio digital

Brasília - É bom o radionauta realizar uma poupança. Aparelho para recepção do Rádio digital deverá custar no mercado cerca de R$60,00 para os consumidores. A troca não é obrigatória, porém sem o novo receptor, o ouvinte não aproveita a nova tecnologia
Publicidade
O consumidor terá que trocar o aparelho de rádio para ouvir as rádios digitais. A expectativa do Ministério das Comunicações é de que o aparelho mais barato custe de R$ 60 a R$ 70. O Ministro das Comunicações, Hélio Costa, imagina que em um ano todo o sistema tenha migrado para o digital. “As empresas de fabricação Sansung e Sony me informaram que farão um rádio que custará em torno disso”, afirma o ministro.

O novo rádio terá as duas opções. Irá recepcionar tanto as rádios AM e FM atuais, em sinal analógico, quanto as novas rádios que transmitirão em sinal digital. Para iniciar a fabricação dos novos rádios, as empresas esperam a decisão do governo federal sobre qual sistema de transmissão será adotado pelo país, o que deve ocorrer em no máximo 60 dias.

Outra opção que poderá chegar ao mercado brasileiro são os conversores. O aparelho permite que os rádios atuais captem as transmissões digitais. Ele hoje é utilizado nos Estados Unidos e na Europa. Mas o ministro tem dúvidas sobre sua utilização no Brasil, “a menos que custasse no máximo R$ 10”, diz.

Os novos rádios não recepcionarão as rádios de ondas curtas (OC) e o ministério ainda não sabe como fazer para que essas rádios cheguem ao consumidor. “O rádio de ondas curtas foi perdendo posição nos últimos anos. Não temos mais de 50 emissoras no Brasil, se tivermos. Ficamos sem ter como medir o impacto que causaria acrescentar o dispositivo de ondas curtas em um rádio AM e FM digital, porque encareceria o rádio. Talvez possamos fazer um rádio exclusivamente de ondas curtas ou um receptor. É uma questão de conversar com a indústria”, explica o ministro.

Para baratear ainda mais o preço do novo rádio, o governo federal estuda a possibilidade de fazer um acordo com as indústrias. A idéia é fazer um acordo em que os empresários diminuam a margem de lucro e o governo diminua os impostos.

“Uma questão foi levantada pelos empresários do setor e eu vou levar ao presidente da República: Eles me disseram que 40% é a margem do lucro do revendedor e 35% são impostos. Tem que ter uma discussão nesse sentido”, adianta o ministro das Comunicações.


Fonte: Agência Brasil - 04/08/2007
[email protected]




Nota: Podcast Tudo Rádio.com – Baixe arquivos de áudio (extensão mp3) para ouvir em seu mp3 player ou IPod. Você também poderá fazer sua seleção de arquivos radiofônicos em seu computador. Conheça essa novidade exclusiva do seu portal de rádios clicando aqui!






Todos os direitos são reservados ao Portal tudoradio.com, conforme a lei nº 9.610/98. A publicação, redistribuição, transmissão e reescrita são permitidas, desde que contenham os devidos créditos ao Portal tudoradio.com.

Tags:

Compartilhe!

Teste
Daniel Starck

Daniel Starck é jornalista, empresário e proprietário do tudoradio.com. Com 20 anos no ar, trata-se do maior portal brasileiro dedicado à radiodifusão. Formado em Comunicação Social pela PUC-PR. Teve passagens por rádios como CBN, Rádio Clube e Rádio Paraná. Atua como consultor e palestrante nas áreas artística e digital de rádio, tendo participado de eventos promovidos por associações de referência para o setor, como AESP, ACAERT, AERP e AMIRT. Também possui conhecimento na área de tecnologia, com ênfase em aplicativos, mídia programática, novos devices, sites e streaming.



...









tudoradio.com © 2004 - 2022 | Todos os direitos reservados
Mais tudoradio.com:
Empresas parceiras do tudoradio.com:
tudoradio.com - O site de rádios do Brasil
Tel. Comercial: (41) 4062.0035 | (11) 4062.0058 / (09h às 12h e das 14h às 17h - seg. a sexta)
Entre em contato com o portal clicando aqui.