Rádios online / Emissoras ao vivo

Dials / Guia de Rádios

Procurar notícias de rádio

Canais.

Canais.

Canais.

Enquete

Como você, ouvinte de rádio via streaming, classifica esse serviço oferecido pela sua emissora preferida?

Enquete

Terça-Feira, 11 de Junho de 2013 @ 08:01

Rádio em alta: AM no FM, incentivo para receptores no celular e crescimento de 19% em seis anos

São Paulo – Notícias sobre o meio geram sensação otimista nos bastidores e a possibilidade de mais crescimento

Publicidade

O meio radiofônico brasileiro vive um momento de definição dos próximos passos para vislumbrar novos crescimentos nas principais regiões do país. As notícias publicadas pelo Tudo Rádio e outros veículos de imprensa especializados geram uma sensação otimista para que o rádio siga visando novos crescimentos e a manutenção de seu grau de importância perante a população brasileira. Na última semana o meio acompanhou notícias como a confirmação da migração das rádios AMs para uma faixa FM estendida, realização de reuniões para incentivar o surgimento de novos receptores no mercado (através de novos aparelhos de celular) e também a confirmação de um crescimento expressivo em audiência nos últimos seis anos, segundo o Instituto Ibope. Acompanhe:

Conforme noticiado na semana passada pelo Tudo Rádio, um levantamento realizado pelo Ibope Media apontou que a audiência do FM no Brasil cresceu 14% entre 2006 e 2013. A pesquisa mostrou ainda que o tempo médio gasto pelo ouvinte no consumo do meio nas frequências AM e FM também aumentou. De 254 minutos dispendidos em 2006, os ouvintes passaram a gastar 264 minutos em 2013, número que representa um crescimento de 4%. Já o rádio AM, o aumento no tempo médio de audição é de 20%, com 202 minutos dispendidos em 2006 e 244 minutos em 2013. Na comparação entre os períodos, o tempo gasto exclusivamente com audição de rádio FM cresceu 8%, com 234 e 253 minutos, respectivamente. Também foi destaque o alcance médio das rádios, que mostra com mais fidelidade o número de ouvintes que a emissora alcança. Neste quesito, a rádio FM se manteve estável entre 2013 e 2006 (87,55% e 87,57% respectivamente).

A outra notícia importante que movimentou o meio na última sexta-feira foi a confirmação da migração para o chamado “FM estendido” por parte das rádios que operam na faixa AM. A proposta foi apresentada à presidente pelo ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, nesta quinta-feira, 6 e aprovada pela presidente da República Dilma Rousseff já no dia 7. A decisão atende a uma demanda da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) e das Associações Estaduais de Radiodifusão, que consideram a migração das emissoras AM para os canais 5 e 6 de televisão o caminho mais adequado para o rádio AM brasileiro. Atualmente, as emissoras que operam em ondas médias sofrem com níveis crescentes de interferências e ruídos que prejudicam a prestação do serviço e entretenimento.

Por fim, o Ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, deve receber nesta semana os radiodifusores, em Brasília, que levarão um pedido formal para que o governo federal inclua no plano de desoneração de smartphones e estímulo à produção de celulares no Brasil medidas que garantam a recepção de rádio AM e FM. A intenção dos radiodifusores é propor ao governo que trabalhe junto aos fabricantes de telefones móveis para assegurar esse serviço à população. Atualmente, boa parte dos sinais das emissoras de rádio FM já é captada por celulares e smartphones, também com a presença de aparelhos que possuem a função disponível em sua estrutura, porém seguem inativa por decisão de determinados fabricantes. Os receptores já existentes em aparelhos celulares costumam apresentar boa recepção de estações locais, além de uma qualidade de áudio de bom nível técnico e a presença de serviços adicionais como o RDS (envio de texto para os receptores).

Outra expectativa do meio é que essas notícias sobre investimentos, incentivos e crescimento de audiência ajudem a fortalecer o cenário comercial do rádio nos principais mercados brasileiros. O investimento publicitário em mídia registrou acumulado de R$ 6,54 bilhões entre os meses de janeiro e março de 2013, com leve aumento de 0,36% em relação ao mesmo período do ano passado, quando o valor foi de R$ 6,51 bilhões. O rádio teve uma variação positiva de 2,58% nesse período, segundo a informação do Projeto Inter-Meios.

Em breve mais informações sobre a movimentação do rádio brasileiro.

Tags: Panorama, audiência, publicidade, AM, FM, faixas, migração

Compartilhe!

Teste
Daniel Starck

Daniel Starck é empresario, jornalista e proprietário do tudoradio.com (veiculo que atua há mais de 17 anos voltado aos interesses do rádio brasileiro e de seus ouvintes). Formado em Comunicação Social / Jornalismo pela PUCPR, Daniel também já teve passagens por rádios como CBN, Rádio Clube e Rádio Paraná. Também atua como consultor nas áreas artística e digital.



...


Mais tudoradio.com



tudoradio.com © 2001 - 2020 | Todos os direitos reservados
Marcas que pertencem ao tudoradio.com:
Empresas parceiras do tudoradio.com:
tudoradio.com - O site de rádios do Brasil
Tel. Comercial: (41) 4062.0035 | (11) 4062.0058 / (09h às 12h e das 14h às 17h - seg. a sexta)
Entre em contato com o portal clicando aqui.