Rádios online / Emissoras ao vivo

Dials / Guia de Rádios

Procurar notícias de rádio

Canais.

Canais.

Canais.

Enquete

Quão importante é para uma estação de rádio FM ter o serviço de RDS ativo, que exibe o nome da estação e outras informações sobre a rádio?

Enquete

Sexta-Feira, 24 de Fevereiro de 2017 @ 19:04

TRT julga greve dos funcionários da Super Rádio Tupi como não abusiva

Rio de Janeiro - Colegiado entendeu que foram cumpridas as formalidades e exigências da Lei de Greve

Publicidade
O impasse entre funcionários e a direção da Super Rádio Tupi FM 96.5 AM 1280 do Rio de Janeiro ganhou mais um capítulo. O Tribunal Regional do Trabalho decidiu nesta quinta-feira (23) que a greve dos funcionários da emissora não é abusiva. Segundo a decisão do colegiado, os grevistas cumpriram todas as formalidades e exigências da Lei de Greve.
 
 
A reunião do colegiado foi realizada na tarde desta quinta-feira (23). Em sessão de julgamento da Seção Especializada em Dissídios Coletivos do TRT/RJ (Sedic), no Prédio-Sede, foi julgada como não abusiva a greve de empregados da Sociedade Anônima Rádio Tupi. A sessão foi presidida pela desembargadora Rosana Salim Villela Travesedo, vice-presidente do TRT/RJ.
 
Deflagrada pelo sindicato dos trabalhadores, a greve teve início em 24 de dezembro de 2016. O colegiado entendeu que foram cumpridas as formalidades e exigências da Lei de Greve e que o movimento paredista foi motivado pela falta do pagamento de salários, julgando improcedente o pedido de declaração de abusividade da greve feito pela Sociedade Anônima Rádio Tupi.
 
Segundo informações do Sindicato dos Jornalistas do Rio de Janeiro, os trabalhadores terão que ingressar com ações para garantir o pagamento do que a empresa lhes deve. Os jornalistas podem procurar o Sindicato para obter orientação jurídica de acordo com seu caso.
 
Além disso, aqueles que foram demitidos arbitrariamente, e por carta, poderão entrar com ação para serem reintegrados ao emprego ou para anular os efeitos da demissão por justa causa – caso não queiram mais trabalhar na empresa. Já os jornalistas que não foram demitidos mas que querem sair da Tupi podem reivindicar à Justiça a rescisão unilateral do contrato de trabalho – que é permitida quando o trabalhador está há mais de três meses sem receber salário.
 
Os profissionais que desejam continuar na rádio também podem ingressar com ação judicial cobrando o pagamento dos atrasados e a regularização de salários e direitos previstos em lei, como 13º salário e depósitos de INSS e FGTS.
 

A reprodução das notícias e das pautas é autorizada desde que contenha a assinatura 'tudoradio.com'
Tags: Rádio, Super Rádio Tupi, greve, radialistas, Sindicato, TRT, Rio de Janeiro

Compartilhe!

Teste
Carlos Massaro

Carlos Massaro atua como radialista e jornalista. Já coordenou artisticamente uma afiliada da Band FM (Promissão/SP) e trabalhou como locutor na afiliada da Band FM em Ourinhos/SP e na Interativa de Avaré/SP e como jornalista na Hot 107 FM 107.7 de Lençóis Paulista/SP e na Jovem Pan FM 88.9 e Divisa FM 93.3 de Ourinhos. Também é advogado na OAB/SP e membro da Comissão de Direito de Mídia da OAB de Campinas/SP, da Comissão de Direito da Comunicação e dos Meio da OAB da Lapa/SP e membro efetivo regional da Comissão Estadual de Defesa do Consumidor da OAB/SP. Atua pelo tudoradio.com desde 2009, responsável pela atualização diária da redação do portal.



...









tudoradio.com © 2004 - 2024 | Todos os direitos reservados
Mais tudoradio.com:
Empresas parceiras do Tudo Rádio:
Tudo Rádio - O site de rádios do Brasil
Tel. Comercial: (41) 4062.0035 | (11) 4062.0058 / (09h às 12h e das 14h às 17h - seg. a sexta)
Entre em contato com o portal clicando aqui.