Rádios online / Emissoras ao vivo

Dials / Guia de Rádios

Procurar notícias de rádio

Canais.

Canais.

Canais.

Enquete

Seja pelo celular, rádio do carro ou receptor tradicional… você já tem algum receptor de rádio com FM estendido (a partir de 76.1 FM)?

Enquete

Terça-Feira, 19 de Janeiro de 2021 @ 07:31

O Rádio Hoje | Percepção de profissionais de mídia sobre o consumo de rádio é diferente do que mostra a realidade

São Paulo - Afirmação é baseada em estudo realizado nos Estados Unidos, que sugere menos "eu" em afirmações relacionadas ao consumo de mídia

Publicidade

Neste início de 2021, a Westwood One publicou um artigo que destaca um estudo realizado em agosto passado, chamado de Advertiser Perceptions. Nele, o levantamento mostra que as percepções de profissionais de marketing e agências sobre os hábitos de consumo de mídia são bem diferentes do que acontece na realidade. A pesquisa envolveu cerca de 300 profissionais que decidem a compra de mídia nos Estados Unidos e apontou que o rádio é subestimado pelo mercado. Acompanhe:

O relatório da Westwood One, assinado por Pierre Bouvard, sugere em seu título que os profissionais de mídia deixem o "eu" de lado na hora de realizar afirmações sobre o consumo de mídia nos Estados Unidos. Isso porque o padrão e os hábitos desses profissionais são bem diferentes daqueles observados no norte-americano médio, seja no uso de aplicativos nos smartphones, tempo gasto com escutas de rádio AM/FM e também de TV linear.

No caso do rádio, os profissionais de mídia acreditam que os norte-americanos destinam 7% do total de tempo de consumo de mídia para conteúdos vindos do AM e FM. Na realidade, segundo dados da Nielsen, o consumo em tempo destinado ao rádio é quase o dobro, ou seja, 13%.

Também existem diferenças com outras formas de mídia. A Westwood One destaca que profissionais de marketing  e agências acreditam que os consumidores gastam 16% de seu tempo diário de mídia com aplicativos ou a web em seus smartphones. Na realidade, os norte-americanos gastam 30% de seu tempo diário de mídia com esses dispositivos. Já para o consumo de TV linear a diferença é de 17% entre percepção (13%) e realidade (30%).


Percepções subestimadas segundo o relatório da Westwood One

Já para outras plataformas digitais, como aplicativos ou acesso a internet em tablets, dispositivos conectados (AppleTV, Google Chromecast), Amazon Fire TV, smartphones, computadores, etc), videogames, DVDs/Blu-rays, entre outros, a percepção de consumo padrão é superestimada, ou seja, é indicado mais do que o padrão real observado na população média dos Estados Unidos.


Percepções superestimadas segundo o relatório da Westwood One

Possíveis bolhas e olhos apenas para possíveis tendências

Segundo a Westwood One, essa desconexão entre percepção e realidade ocorre porque "as marcas costumam pedir às suas agências de mídia que olhem além do horizonte para prever as plataformas de mídia emergentes. O tempo constante gasto examinando as tendências dos pequenos consumidores pode exagerar seu tamanho percebido", afirma o relatório. 

"As conferências de mídia e publicações comerciais tendem a se concentrar em novas plataformas e mídias emergentes. Como tal, 'os objetos podem parecer maiores do que são'", complementa o relatório da Westwood One.

Veja também:
> Rádio AM/FM domina o volume de publicidade em áudio nos Estados Unidos. Números rebatem percepção de agências
> Em mercado sensível à deslocamentos, audiência de rádio AM/FM atinge 97% do nível pré-pandemia nos Estados Unidos

O texto da Westwood One ainda destaca a fala de Colin Lewis, CMO premiado. O profissional escreveu recentemente que anunciantes se iludem e são "facilmente enganados por 'seitas' de marketing que nos impedem de ver o mundo como ele é". O relatório ainda sugere que "para criar decisões de planejamento informadas, os profissionais de marketing e agências devem tirar o ‘eu’ da 'mídia' e compreender totalmente os comportamentos da mídia de hoje". 

"Como os profissionais que trabalham em uma indústria amplamente construída com base no comportamento da mídia podem estar tão desinformados? A resposta é bastante simples. O pessoal de marketing está vivendo em um mundo próprio. Eles não vestem as mesmas roupas que as pessoas "comuns", não vão aos mesmos restaurantes que as pessoas comuns, não bebem a mesma bebida, compram a mesma comida, assistem aos mesmos programas, dirigem os mesmos carros, veja os mesmos filmes ou more nas mesmas vizinhanças que as pessoas comuns", declara Bob Hoffman, um executivo de agência de publicidade de longa data e palestrante requisitado em conferências do setor, segundo a Westwood One.

Recomendamos:
> Veja aqui mais notícias sobre o atual momento do rádio em diferentes países
> Confira também as principais tendências para o setor de rádio e tecnologia

Com informações da Westwood One e da Nielsen

Tags: Consumo, padrão, rádio, mídia, plataformas, agências, marketing

Compartilhe!

Teste
Daniel Starck

Daniel Starck é jornalista, empresário e proprietário do tudoradio.com (veiculo que atua há mais de 19 anos voltado aos interesses do rádio brasileiro e de seus ouvintes). Formado em Comunicação Social / Jornalismo pela PUCPR, Daniel também já teve passagens por rádios como CBN, Rádio Clube e Rádio Paraná. Também atua como palestrante e consultor nas áreas artística e digital.



...









tudoradio.com © 2004 - 2021 | Todos os direitos reservados
Mais tudoradio.com:
Empresas parceiras do tudoradio.com:
tudoradio.com - O site de rádios do Brasil
Tel. Comercial: (41) 4062.0035 | (11) 4062.0058 / (09h às 12h e das 14h às 17h - seg. a sexta)
Entre em contato com o portal clicando aqui.