Rádios online / Emissoras ao vivo

Dials / Guia de Rádios

Procurar notícias de rádio

Canais.

Canais.

Canais.

Enquete

O retorno da propaganda partidária gratuita no rádio vai auxiliar a sua escolha nas eleições de 2022?

Enquete

Quarta-Feira, 17 de Junho de 2020 @ 07:30

Coronavírus: Edison Research aponta crescimento de 44% no consumo de áudio durante o isolamento social nos Estados Unidos

São Paulo - Rádio e podcasts foram beneficiados pelo aumento no consumo. Pesquisas anteriores já haviam apontado avanço na audiência de rádio

Publicidade

A oferta de mídia foi ampliada nas residências, através das mais diversas plataformas. Mas o tempo disponível para esse consumo também foi ampliado. Resultado: crescimento em todos os formatos de mídia. E para o áudio, que interessa particularmente ao rádio, o avanço foi de 44% nas residências nos Estados Unidos, isso durante o isolamento social provocado pela pandemia do novo coronavírus. O dado é da Edison Research.

No geral, a Edison Research lembra que o tempo gasto de audição foi ligeiramente menor do que no período pré-pandemia. Mas houve uma mudança significativa no local de escuta. Para se ter ideia, antes do isolamento o consumo de áudio a partir das residências era de 48,5%, valor este que estava consistente desde 2014, através do levantamento Share of Ear.

Com o isolamento social e as quarentenas impostas nos principais mercados norte-americanos, a escuta a partir das residências era de 70% do total de consumo de áudio.

Todos os outros três locais rastreados pela Edison Research, incluindo no carro, o local de trabalho e "outros" pontos de escuta, cada um experimentou um declínio em comparação com o período pré-pandemia.

"É importante reconhecer que nossa pesquisa pergunta onde está o entrevistado quando está ouvindo áudio - e não o que está fazendo", afirma Laura Ivey, diretora de pesquisa da Edison Research, em entrevista ao portal norte-americano Inside Radio. A executiva ainda afirma que a maior presença de pessoas trabalhando a partir de suas residências, estas que tendem a passar muito tempo consumindo áudio, "está claramente refletida".


Distribuição dos locais de consumo de áudio. No primeiro gráfico é o cenário pré-pandemia. Já o segundo mostra os valores durante os efeitos da covid-19

Recomendamos:
> Coronavírus: Media Hiatus Impact da Nielsen mostra os impactos da diminuição ou corte na publicidade para as marcas
> Covid-19: Nielsen mostra que streaming está contribuindo com picos de acessos ao conteúdo de rádio

Isolamento ampliou participação do podcast no consumo de áudio

A pesquisa Share of Ear apontou que essa mudança de comportamento vista no ponto de escuta foi positiva para o podcast. O levantamento apontou um crescimento na parcela de ouvintes de podcast, resultando um avanço de 26% no resultado atual na comparação com o primeiro trimestre deste ano.

Em relação à participação dos podcasts no consumo total de áudio, esse formato foi de 4,3% no primeiro trimestre para 5,4% na atualização mais recente, já no período de isolamento social e quarentenas.

"Enquanto o compartilhamento de podcasting aumenta a cada atualização, isso representa uma alta histórica de compartilhamento de audição de podcast de todo o áudio", afirma a Edison Research. "As enormes mudanças na vida cotidiana de tantos americanos levaram a mudanças no que as pessoas estão ouvindo e em qual dispositivo estão usando para acessar seu áudio", completa o instituto.

Smart speakers também avançaram

As smart speakers, ou caixas de som com inteligência artificial, também foram beneficiadas pela mudança nos hábitos durante o isolamento social. Segundo a pesquisa da Edison Research, os dispositivos bateram um novo recorde em sua participação no consumo de áudio, representando 5,3% de todo o tempo gasto com áudio nos Estados Unidos. No primeiro trimestre esse valor era de 3,7%.

"O movimento de tanto ouvir a casa mudou as ações de muitas plataformas e dispositivos", disse Ivey. "Será fascinante ver como esses números continuam a se desenvolver à medida que a vida americana evolui durante e, eventualmente, após esse período de pandemia", conclui a executiva.

Vale a leitura:
> Novo rádio? Cerca de 60 milhões de pessoas já contam com uma smart speaker nos Estados Unidos
> Canadá consome mais áudio digital do que os Estados Unidos. Rádio segue forte

Rádio também avança

O rádio norte-americano tem a maior parte de sua escuta originada fora de casa e, com as mudanças nos hábitos, essa parcela foi diminuída, com a ampliação na audição a partir das residências. Mas isso não representou uma queda no consumo, já que o meio reteve seu alcance, seguindo o mais elevado entre todas as plataforma de mídia.

Dois fatores foram observados: primeiro um avanço no consumo de rádio por um público mais jovem, segundo levantamento da Havas Media. No geral, o avanço foi de 40% no consumo.

Já sobre o que consumir no rádio, os ouvintes se mostraram fiéis aos seus conteúdos, exceto algumas mudanças comportamentais no início da pandemia, quando o jornalismo se sobressaiu. Nas últimas medições da Nielsen já apontam uma reacomodação da audiência nos formatos de rádio mais afetados no início da pandemia.

Recomendamos:
> Veja aqui mais notícias sobre o atual momento do rádio em diferentes países
> Confira também as principais tendências para o setor de rádio e tecnologia

Com informações da Edison Research e do Portal Inside Radio

Tags: Audiência, áudio, podcast, smart speakers, caixas de som, digital, Estados Unidos, coronavírus

Compartilhe!

Teste
Daniel Starck

Daniel Starck é jornalista, empresário e proprietário do tudoradio.com (veiculo que atua há mais de 19 anos voltado aos interesses do rádio brasileiro e de seus ouvintes). Formado em Comunicação Social / Jornalismo pela PUCPR, Daniel também já teve passagens por rádios como CBN, Rádio Clube e Rádio Paraná. Também atua como palestrante e consultor nas áreas artística e digital.



...









tudoradio.com © 2004 - 2022 | Todos os direitos reservados
Mais tudoradio.com:
Empresas parceiras do tudoradio.com:
tudoradio.com - O site de rádios do Brasil
Tel. Comercial: (41) 4062.0035 | (11) 4062.0058 / (09h às 12h e das 14h às 17h - seg. a sexta)
Entre em contato com o portal clicando aqui.